IICT ACTD

Cocos nucifera L.

Cocos nucifera L.
Document type: Xylotheque Document
Collection: Moçambique (Jardim) - Xiloteca  
Attached Files
Name Description MIMEType Size Downloads
n0109macro_alt.jpg   macro_alt image/jpeg 296.70KB 12

Nome Científico Cocos nucifera L.
Origem Moçambique (Jardim)
Família Palmae
Nome Vernaculo
1.Coqueiro
2.Coco diácuhoma
3.Coconut palm
4.Porcupine wood
5.Cocotero
6.Palma de coco
7.Mâd
8.Nal
9.Ie chi
10.Nu
11.Noá
12.Hosabul
13.Hesabul
14.Cóco
15.Côco
16.Còconja
Nomes Vernáculos e Comerciais GERAL: Coqueiro - GUINÉ: Cóco - S. TOMÉ: Côco; Còconja - MOÇAMBIQUE: Coco diácuhoma - ÍNDIA: Mâd; Nal - MACAU: Ie chi - TIMOR: Nu; Noá; Hosabul; Hesabul - NOME ESTRANG.: Coconut palm; Porcupine wood; Cocotero; Palma de coco
Distribuição Geográfica Todas as regiões tropicais
Árvore Palmeira monóica podendo atingir 25 a 30m de altura. De tronco liso de 25 a 30cm de diâmetro, espesso na base, coroado por umas 20 folhas penadas de 3,5 a 6m, dirigidas em todos os sentidos, pinuladas, com os segmentos linear-lenceolados, acuminados. Flores em espádice. Fruto de mesocarpo fibroso (cairo); amêndoa carnuda (copra) com cavidade central. Enraizamento possante.
Observações Não há exemplar de herbário
Obervações Utilisação O tronco para vigamentos, construção e trabalhos ornamentais, bengalas, condutas de água e pontes (59), marcenaria e como combustível (164). Dos frutos extrai-se o cairo (fibras) e a copra, servindo o endocarpo, pela sua dureza e forma para vasilha, instrumentos musicais, botões, etc. Com a seiva da inflorescência pode fabricar-se vinho, água ardente, vinagre e açúcar (164). As folhas para cobertura de habitações e trabalhos de esteira e cestaria (43).
Origem das Amostras Serviços Agrícolas Florestais e Pecuários de Cabo Verde - Repartição Técnica de Agricultura, S. Tomé - Companhia Agrícola das Neves, S. Tomé - Del. De Agr. E Florestas da Zambézia, Moçambique - III Feira Internacional de Agricultura, Santarém
Habitat e Ecologia Zonas do litoral. Cultivado.
Madeira aspecto macroscópico e outras características A parte exterior do tronco (espique) correspondente ao borne, é muito rija, pesada, de cor castanho escuro, formada por um conjunto de fibras muito compacto. Difícil de serrar a topo mas regularmente à fibra. Difícil de aplainar e raspar. Para o centro, o conjunto vai-se tornando menos compacto, pela redução do número de fibras, sendo de cor castanho muito claro, esponjoso e sem resistência.
Material Para Estudo Vivo 1 exemplar na estufa grande (27/8/75)
Material Para Estudo Museu S/2/53 - S. Tomé
Material para Estudo Xiloteca Cabo Verde: amostra 62/2 - S. Tomé: amostras 24/10, S/17, S/5/23, 427/1 (II F.I.A. - Santarém) - Moçambique: amostra 353/33
 
 
Access Statistics: 162 Abstract Views, 12 File Downloads Detailed Statistics
Created: Tue, 08 Oct 2013, 17:50:13 WET by Administrator. Detailed History
Preview (click the image for a larger version)