IICT  

Missão de Cartografia Geológica da Ilha do Sal

Author: Luis Celestino de Sousa e Silva; Local: Ilha do Sal, Cabo Verde; Data: 1981-1983

Membro de: Centro de Geologia  

Resultados ( 51 encontrados )

Subscribe to the RSS feed for this result setSubscribe to the RSS feed for this result set

Página 1 de 2

Páginas:    1 2  seguinte › última »

  Abstract Views File Downloads
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Ribeira da Madama de Cima e Ribeira da Madama de Baixo. Lavas submarinas, basálticas do "Complexo Eruptivo Antigo". 44 6
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Ribeira da Madama de Cima e Ribeira da Madama de Baixo. Afloramentos de lavas submarinas, basálticas do "Complexo Eruptivo Antigo". 36 2
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Entre a Ribeira Leteu e Ribeira Fontana- aeroporto e litoral oeste. Lavas submarinas, basálticas do "Complexo Eruptivo Antigo", cortadas por filões basálticos.. 30 1
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Entre a Ribeira Leteu e Ribeira Fontana- aeroporto e litoral oeste. Lavas submarinas, basálticas do "Complexo Eruptivo Antigo", cortadas por filões basálticos.. 31 1
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Entre a Ribeira Leteu e Ribeira Fontana- aeroporto e litoral oeste. Lavas submarinas, basálticas do "Complexo Eruptivo Antigo", cortadas por filões basálticos.. 34 1
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Entre a Ribeira Leteu e Ribeira Fontana- aeroporto e litoral oeste. Densa rede filiniana basáltica do "Complexo Eruptivo Antigo".. 33  
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Litoral Oeste, entre a Palmeira e Baía Fontana. Densa rede filoniana, essencialmente basáltica, a cortar as rochas granulares e brechas do "Complexo Eruptivo Antigo".. 38 3
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Litoral Oeste, entre a Palmeira e Baía Fontana. Densa rede filoniana, essencialmente basáltica, a cortar as rochas granulares e brechas do "Complexo Eruptivo Antigo".. 47 4
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Área central da ilha, a oeste da estrada principal. Brechas vulcânicas do "Complexo Eruptivo Antigo", recortadas por filões, essencialmente basálticos.. 39 3
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Perto do cruzamento da estrada principal, com a estrada para Pedra de Lume. Provável vasa calcarenítica, com foraminíferos planctónicos, miocénicos, com mineralização de óxidos de ferro e jaspe associado.. 42 3
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Imagem microscópica de lâmina delgada da provável vasa calcarenítica, com foraminíferos planctónicos, miocénicos.. 66 10
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Morrinho das Pedras. Chaminé e mantos fonolíticos, provavelmente do "Complexo Eruptivo Antigo".. 39 3
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Morrinho das Pedras. Mantos fonolíticos e depósito de vertente.. 47 2
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Área centro-ocidental da ilha. Fotografia aérea de estruturas granulares subvulcânicas (sieníticas, gabróicas e piroxeníticas), intrusivas mas em brechas vulcânicas recortadas por filões, essencialmente basálticos, provavelmente do "CEA". 29 2
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Cartografia de estruturas granulares subvulcânicas, simples e compostas. Rochas sieníticas (cor amarelada); rochas gabróicas (cor alaranjada); rochas piroxeníticas (cor castanha). Provavelmente do "Complexo Eruptivo Antigo".. 39 5
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Área centro-ocidental da ilha. Estruturas granulares subvulcânicas, provavelmente do "Complexo Eruptivo Antigo".. 27 3
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Área centro-ocidental da ilha. Estrutura granular subvulcânica, compósita, com piroxenitos na base, rochas gabróicas na zona intermédia e rochas sieníticas no topo.. 26  
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Estruturas granulares subvulcânicas, intrusivas em brechas vulcânicas recortadas por filões, essencialmente basálticos.. 41 1
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Estrutura granular subvulcânicas, sienítica, recortada por filões basálticos.. 24 3
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Rocha piroxenítica, de estrutura granular subvulcânica.. 29 1
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Pormenor do domínio piroxenítico, de estrutura granular subvulcânica.. 22  
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Afloramento piroxenítico com segregações sieníticas.. 26 4
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Afloramento piroxenítico com segregações sieníticas.. 22 3
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Afloramento brechóide de rochas granulares sieníticas.. 22  
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Rocha gabróica/essexítica com bandado subvertical de estrutura granular subvulcânica.. 29 2
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Pormenor do bandado subvertical, localmente curvilineo, com rocha gabróica de estrutura granular subvulcânica.. 20  
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Bandado subvertical, subparalelo nas rochas gabróicas.. 25  
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Bandado subvertical, subparalelo nas rochas gabróicas.. 24 1
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Área central da ilha. Mantos basálticos da "Formação Eruptiva Principal, recortada por filões basálticos.. 26 2
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Área central da ilha. Mantos basálticos subaéreos (no topo), que passam a mantos submarinos (na base), da "Formação Eruptiva Principal.. 28 1
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Área leste da ilha, entre a Baía da Parda e Ribeira Lizardo. Mantos basálticos subaéreos (no topo), que passam gradualmente a mantos submarinos. "Formação Eruptiva Principal.. 19 1
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Área leste da ilha, entre a Baía da Parda e Ribeira Lizardo. Mantos basálticos subaéreos (no topo), que passam gradualmente a mantos submarinos. "Formação Eruptiva Principal.. 18 1
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Área leste da ilha, entre a Baía da Parda e Ribeira Lizardo. Mantos basálticos subaéreos (no topo), que passam gradualmente a mantos submarinos. "Formação Eruptiva Principal.. 40 1
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Litoral centro leste. Mantos submarinos basálticos da "Formação Eruptiva Principal.. 16 1
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Litoral sul da ilha. Área da Ponta do Leme Velho. Mantos nefeliníticos, olivínicos da "Formação Eruptiva Principal.. 21 1
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Área das nascentes da Ribeira da Fragata. Mantos nefeliníticos, olivínicos, com segregação de pegmatitóides da "Formação Eruptiva Principal.. 23 2
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Área norte da ilha, entre Ponta Norte e Ponta Moia-Moia. Mantos basálticos subaéreos; calcarenitos fossilíferos, mantos nefeliníticos. Sequência do "Complexo da Ponta do Altar-Baleia".. 27  
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Morrinho do Açúcar. Chaminé nefelinítica com xenólitos peridotitos mantélicos do "Complexo da Ponta do Altar-Baleia".. 54 12
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Morrinho do Filho. Chaminé nefelinítica com xenólitos peridotitos mantélicos do "Complexo da Ponta do Altar-Baleia".. 29 3
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Morrinho do Açúcar. Disjunção prismática na chaminé nefelinítica.. 38 4
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Morrinho do Açúcar. Xenólitos peridotitos mantélicos na chaminé nefelinítica.. 72 9
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Área central, entre Monte Leste e Morrinho do Filho. Afloramento de lavas submarinas, basálticas do "Complexo da Ponta do Altar-Baleia".. 21  
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Área central, entre Monte Leste e Morrinho do Filho. Afloramento de lavas submarinas, basálticas do "Complexo da Ponta do Altar-Baleia".. 20  
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Serra Negra, extremo SW. Hidroclásticos e mantos submarinos (pillow lavas) da "Formação Eruptiva da Serra Negra", que assentam sobre calcarenitos (traço esbranquiçado) que assentam sobre mantos subaéreos basálticos da "Formação Eruptiva Principal".. 26 2
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Serra Negra, vertente central oeste. Na base mantos basálticos subaéreos da Formação Eruptiva Principal, sobre os quais assenta um nível calcarenítico e sobre este, hidroclastitos e mantos submarinos, basálticos da "Formação Eruptiva da Serra Negra".. 20  
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Área da Serra Negra. Ribeira da Fragata. Nível calcarenítico da Ribeira da Fragata.. 16 2
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Área da Serra Negra. Ribeira da Fragata. Lavas submarinas (pillow lavas) da "Formação Eruptiva da Serra Negra", injectadas por material calcarenítico do conglomerado quaternário.. 20  
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Área da Serra Negra. Ribeira da Fragata. Injecção de material fosfatado nas lavas submarinas de lixiviação do conglomerado marinho.. 21  
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Área da Serra Negra. Ribeira da Fragata. Conglomerado calcarenítico da Ribeira da Fragata, subjacente a hidroclastitos basálticos da "Formação Eruptiva da Serra Negra".. 23  
Luis Celestino de Sousa e Silva. (1981). Serra Negra. Hidroclastitos e lavas submarinas basálticas da "Formação Eruptiva da Serra Negra".. 27  

Página 1 de 2

Páginas:    1 2  seguinte › última »