IICT  

Fotografia

As fotografias apresentadas pertencem, na sua maioria, ao espólio fotográfico do Instituto de Investigação Científica Tropical, disponibilizadas através de diferentes colecções. Têm diversas proveniências e temáticas, abarcando um período entre 1860 e 1974. Saber mais

Resultados ( 23 encontrados )

Subscribe to the RSS feed for this result setSubscribe to the RSS feed for this result set

 
Agência Geral do Ultramar

Âmbito e Conteúdo: Imagens das antigas colónias portuguesas: Moçambique, Angola, Cabo Verde, São Tomé, Guiné, Timor e Macau. Documentam acontecimentos políticos (Viagem Presidencial de Américo Tomás a Cabo Verde e Guiné Bissau em Fevereiro de 1968; visitas ministeriais, condecorações e inaugurações), actividades agrícolas; piscatórias, industriais; desporto (atletismo, voleibol, futebol), arquitectura e infra-estruturas (fortalezas, edifícios públicos, bairros, mercados, aeroportos, fábricas, escolas, caminhos-de-ferro, pontes, hospitais); urbanização; eventos sociais e culturais (inaugurações, exposições, concursos). Produzidas nos Centros de Informação e Turismo da Agência Geral do Ultramar, entre as décadas de 60 a 70 do séc. XX, sem autoria conhecida.

Proveniência: Fundo Agência Geral do Ultramar

Dimensão e suporte: 4228 diapositivos cromogéneos (formatos 35mm, 120mm, 9x12cm); 4634 provas em papel de revelação de gelatina e prata (formatos 6x6cm; 9x12cm; 13x18cm; 18x24cm; 20x25cm; 25x30cm; 30x40cm; 40x50cm), 84 provas cromogéneas (formatos 9x12cm; 18x24cm; 20x25cm; 24x30cm), 8008 negativos de cópia em acetato de celulose formato 9x12cm, 151 negativos em acetato de celulose formato 35mm e 120mm, 215 negativos (de cópia) em vidro de gelatina e prata e ca. de 600 fotografias em 10 Álbuns fotográficos

História custodial: Documentação fotográfica transferida do Palácio da Cova da Moura para o Arquivo Histórico Ultramarino a 31 de Maio de 1984, por despacho da Direcção-Geral da Reforma Administrativa de 29 de Abril de 1983.

Datas: Séc. XX

 
Arquivo Histórico Ultramarino

Proveniência: Arquivo Histórico Ultramarino

 
Centro de Documentação e Informação

Âmbito e Conteúdo: Conjunto de fotografias sem relação entre si, e com diferentes proveniências, algumas desconhecidas. Reunidas em álbuns, provas avulsas e alguns negativos. Temas: imagens variadas de Rodésia do Sul; Kenya, Egipto, Uganda, Kilimanjaro, Tanganica e Timor; Sociedades Agrícolas; Visitas presidenciais; Obras Publicas.

Proveniência: IICT/Centro de Documentação e Informação

Dimensão e suporte: Álbuns fotográficos; negativos em película e vidro, provas avulsas.

História custodial: Este conjunto de fotografias encontrava-se armazenado nas instalações do Centro de Documentação e Informação/IICT. Foi transferido para as instalações do AHU em 2010.
Presume-se que hajam diferentes proveniências destas fotografias e até ao momento são desconhecidas.

 
Centro de Estudos Históricos Ultramarinos

Âmbito e Conteúdo: Conjunto de álbuns com temáticas e proveniencias diversas relacionadas com visitas ministeriais e presidenciais e assuntos de economia e arquitetura. Ex: Colonato de Cela; construção de ponte em Angola; problemas de utilização do solo em Moçambique; distribuição de água potável em Luanda, etc.

Proveniência: IICT/Centro de Estudos Históricos Ultramarinos

Dimensão e suporte: 1462 provas fotográficas em papel de revelação p/b e fotomecânicas, de diversos formatos, distribuídas por 19 álbuns

História custodial: O Centro de Estudos Históricos Ultramarinos (CEHU) foi criado através do Decreto-lei nº. 40 070 de 24 de Fevereiro de 1955 pelo Ministro do Ultramar, funcionando em colaboração com a Filmoteca Ultramarina Portuguesa, estando ambas sediadas no Palácio Burnay. Das actividades exercidas pelo CEHU destacam-se entre outras a coordenação e promoção de investigações históricas relativas à acção dos portugueses nos territórios ultramarinos, a recolha, conservação e divulgação de fontes históricas que pudessem apoiar estas investigações e a sua actividade editorial. Em 1973, por força do Decreto-Lei nº 583 de 6 de Novembro, são integradas no CEHU as actividades do então extinto Centro de Estudos Missionários. Neste mesmo decreto-lei, é determinada a integração do CEHU e da Filmoteca Ultramarina Portuguesa na Junta de Investigações Cientificas do Ultramar, hoje Instituto de Investigação Científica Tropical (IICT). Os 19 álbuns fotográficos foram transferidos em 2010 das antigas instalações do ex-CEHU, no Palácio Burnay, para o AHU.

Datas: Entre 1938 e 1954

 
Centro de Geologia

Âmbito e Conteúdo: Reportagens fotográficas de trabalhos de campo efetuados por Luis Celestino de Sousa e Silva durante as missões geológicas em Cabo Verde, nomeadamente nas ilhas de Santo Antão, Santiago, Sal, Fogo, Boavista, São Vicente e São Nicolau entre 1970-1998, ao longo da sua vida profissional no antigo LEPPU, posteriormente Centro de Geologia do IICT.
Deste trabalho foram produzidas as Cartas Geologicas de Cabo Verde e algumas publicações dos trabalhos no Garcia de Orta.

Proveniência: IICT/Centro de Geologia do Instituto de Investigação Científica Tropical, criado em 1983 e sucessor do Laboratório de Estudos Petrológicos e Paleontológicos do Ultramar (LEPPU).

Dimensão e suporte: Seleção, efetuada por Celestino Silva, de 345 diapositivos cromogéneos 35mm, encaixilhados, de um total de 876.

História custodial: Na sequência da extinção do Centro de Geologia em 2003 (Decreto-Lei n.º 297/2003, de 21 de Novembro), a documentação fotográfica agora disponibilizada transitou em 2006 para o LNEG, juntamente com a coleção de amostras geológicas. Atualmente mantém-se sob custódia do IICT, mas em depósito no LNEG, de acordo com as condições estabelecidas no protocolo entre as duas instituições de 8 de Agosto de 2014.

 
Centro de Zoologia

Âmbito e Conteúdo: Imagens diversas das actividades das Missões Zoológicas a Guiné (1945/46) e Moçambique (1948, 1956)

Proveniência: IICT/Centro de Zoologia

 
Colecção de postais ilustrados e bilhetes postal

Âmbito e Conteúdo: Colecção de postais ilustrados e bilhetes postal de Angola, Açores, Madeira, Timor, Moçambique, Guiné, São Tomé e Príncipe, Macau, Cabo Verde, Índia, Marrocos, África do Sul, Quénia, Indonésia, e outros assuntos vários.

Proveniência: Arquivo Histórico Ultramarino

Dimensão e suporte: 1478 items, entre postais ilustrados e bilhetes postal. Dimensões: 9x14cm e 10,5x15cm.

História custodial: Colecção de postais que foram sendo reunidos pelo AHU. A maioria foi adquirida à livraria Histórica Ultramarina.

 
Elmano Cunha e Costa

Âmbito e Conteúdo: Levantamento de grupos étnicos em Angola na década de 30, séc. XX, por Elmano Cunha e Costa para a Agência Geral do Ultramar. Retratos, usos e costumes, feitiçaria, rituais, habitação, arte.

Proveniência: Fundo Agência Geral do Ultramar

Dimensão e suporte: 8718 negativos de película em nitrato de celulose, formato 6x6cm.

História custodial: Esta documentação fotográfica foi transferida do Palácio da Cova da Moura para o Arquivo Histórico Ultramarino a 31 de Maio de 1984, por despacho da Direcção-Geral da Reforma Administrativa de 29 de Abril de 1983.

Datas: 1935-1939

 
Emile Marini

Âmbito e Conteúdo: Reportagem de Emile Marini, em 1957, sobre vários aspectos sociais, arquitectónicos, culturais e paisagísticos de Goa. Este trabalho deu origem ao livro "Goa através da minha objectiva", edição de autor, Lisboa, 1959.

Proveniência: Fundo Agência Geral do Ultramar

Dimensão e suporte: 1452 diapositivos cromogéneos 35mm.

História custodial: Documentação fotográfica transferida do Palácio da Cova da Moura para o Arquivo Histórico Ultramarino a 31 de Maio de 1984, por despacho da Direcção-Geral da Reforma Administrativa de 29 de Abril de 1983.

Datas: 1957

 
Estabelecimentos de Ensino - Direcção Geral da Educação

Âmbito e Conteúdo: Conjunto de imagens de estabelecimentos de ensino em Cabo Verde, São Tomé, Angola, Moçambique e Macau da segunda metade do séc. XX.
Imagens provenientes do Ministério do Ultramar - Direcção-Geral da Educação. Em tratamento.

Proveniência: Fundo Ministério do Ultramar - Direcção Geral da Educação

Dimensão e suporte: Cerca de 550 provas em papel de revelação de gelatina e prata de diversos formatos (30x40cm, 20x25cm, 18x24cm, 9x12cm, 10x15cm, 13x18cm) + 17 negativos p/b 35mm

 
Fotografia da Pedologia
1229 fotografias
 
IICT/Centro de Estudos de Fitossanidade e Armazenamento

Âmbito e Conteúdo: Imagens das actividades do CEFA, quer em laboratorio quer durante as missões.

Proveniência: IICT/Centro de Estudos de Fitossanidade e Armazenameto

 
Instituto de Investigação Científica Tropical

Âmbito e Conteúdo: Organismos e Centros que fizeram parte do Instituto de Investigação Científica Tropical ; visitas ao IICT e a diversos serviços; exposições do IICT; Comemorações do centenário do IICT, homenagens a investigadores do IICT.

Proveniência: IICT/Centro de Documentação e Informação

Dimensão e suporte: 993 especies fotográficas: 840 Provas fotográficas (papel de revelação de gelatina e prata e cromogéneas), formatos (9x12cm 13x18cm, 18x24cm); 153 negativos em película (6x9 e 9x12).

História custodial: Provas provenientes do AHU, CDI e Palácio Burnay que se encontravam dispersas. Representam levantamentos fotográficos realizados aos diversos centros do IICT, bem como atividades e exposições do IICT. Um dos envelopes indicava ”Fotografias para o álbum da JICU”.

 
Jardim Botânico Tropical

Âmbito e Conteúdo: Fotografias realizadas no âmbito das Missões de Estudos Florestais e das actividades do Jardim e Museu Agrícola do Ultramar, actual Jardim Botânico Tropical.

Proveniência: IICT/JMAC/JMAU/JMAT/JBT

Dimensão e suporte: Inventariadas 13188 fotografias (negativos, diapositivos, provas, álbuns fotográficos)

História custodial: Um decreto régio de 25 de Janeiro de 1906 criou o Museu Agrícola Colonial (MAC) e o Jardim Colonial (JC), que nos primeiros anos esteve instalado nas estufas do Conde de Farrôbo. Em 1912 o JC foi transferido para a Cerca do Palácio de Belém. em 1915: o MAC passa da tutela do Ministério da Instrução Pública para a do Ministério das Colónias. Em 1920 publicou-se o Regulamento do Museu Agrícola Colonial e em 1929, deu-se a inauguração do Museu Agrícola Colonial (MAC) no Palácio dos Condes da Calheta. Em 1944 o Jardim Colonial e o Museu Agrícola Colonial passam a constituir um único organismo – Jardim e Museu Agrícola Colonial (JMAC). Em 1951 passa a designar-se Jardim e Museu Agrícola do Ultramar (JMAU). Em 1973 O Decreto n.º 583/73 integra o JMAU na Junta de Investigações do Ultramar, antecessora do actual Instituto de Investigação Científica Tropical (IICT). Em 1983 mudou novamente de nome e passou a chamar-se Jardim-Museu Agrícola Tropical (JMAT). Actualmente designa-se Jardim Botânico Tropical (JBT).

O Museu Agrícola Colonial (MAC) foi inaugurado no Palácio dos Condes da Calheta em 1929, o MAC destinava-se a divulgar os produtos agrícolas e florestais das colónias portuguesas, as suas potencialidades económicas e os seus usos sociais e culturais. Paralelamente devia apoiar o ensino da agronomia e da silvicultura coloniais. Ao longo da sua existência, as suas coleções foram reforçadas com novos produtos enviados pelos governos coloniais e foram mostradas em exposições nacionais e estrangeiras, nomeadamente de âmbito colonial.
Inicialmente organizado segundo o critério geográfico da proveniência dos produtos, configurado a cada uma das colónias portuguesas, passou em 1961 a organizar-se em função dos produtos expostos: cereais, amidos, forraginosas, frutos, legumes, oleaginosas, plantas medicinais, taninosas, tintoriais, condimentos, tabaco, resinas, borrachas, cera, madeiras, café, cacau, chá, açúcar, fibras vegetais. Além destes produtos e de alguns exemplares de fauna, o Museu expunha também utensílios domésticos, alfaias agrícolas e artesanato, atualmente reunidos nesta Reserva, e que traduziam formas de utilização dos recursos naturais das colónias.
Com uma missão e uma linguagem expositiva muito datadas, coleções de valor desigual e colocando onerosos problemas de conservação, sem pessoal especializado e meios financeiros, o então Museu Agrícola Tropical não conseguiu adaptar-se ao contexto pós-colonial, tendo sido, no início da década de 1990, definitivamente desativado.

A coleção de fotografias do JBT integra todas estas fases, mantendo-se as diferentes cotas que reflectem as várias épocas.

 
João Crawford Cabral

Âmbito e Conteúdo: Fotografias do espólio pessoal de João Crawford Cabral, zoólogo do Instituto de Investigação Cientifica de Angola (IICA).

Proveniência: Acervo Pessoal de João Crawford Cabral

Dimensão e suporte: 150 provas em papel de revelação em gelatina e prata e cromogéneas, décadas de 50 a 70. Doado os direitos de utilização das imagens digitais ao IICT.Originais na posse do autor.

Datas: 1950-1970

 
Luis Celestino de Sousa e Silva

Âmbito e Conteúdo: Fotografias do espólio pessoal de Luis Celestino de Sousa e Silva, investigador Principal do Laboratório de Estudos Petrológicos e Paleontológicos do Ultramar (LEPPU), na Junta de Investigações do Ultramar (JIU) desde 1961 e investigador coordenador definitivo do Centro de Geologia, do Instituto Investigação Científica Tropical, entre 1995 e 1998, quando se aposentou. Tratam-se de imagens de quando foi deslocado em comissão eventual de serviço para a Missão de Fomento e Povoamento do Zambeze (Tete, Moçambique), Brigada de Geologia e Prospecção Mineira, Campanhas de 1962 e 1963/64 e durante os trabalhos de Cartografia Geológica em Angola entre 1965/66.
Foram emprestadas pelo próprio para reprodução e disponibilização no ACTD. Ver também o registo da memória oral em http://actd.iict.pt/view/actd:MOLCSS

Proveniência: Acervo Pessoal de Luis Celestino de Sousa e Silva

Dimensão e suporte: 31 reproduções digitais de provas fotográficas originais do autor.

 
Mendes Ferrão

Âmbito e Conteúdo: Fotografias que documentam a atividade profissional de Mendes Ferrão como engenheiro agrónomo: plantas e frutos, atividades agrícolas, mercados, plantações, explorações agrícolas, durante as suas viagens a S. Tomé, Cabo Verde, Guiné, Angola, Zaire, Moçambique, Portugal. Inclui também imagens da extinta Comissão Interministerial do Café, e de Mendes Ferrão à receção à viagem presidencial do Dr. Ramalho Eanes ao Zaire. Algumas imagens produzidas na FAO (Food and Agricultural Organization of the United Nations.

Proveniência: Instituto de Investigação Científica e Tropical

Dimensão e suporte: Diapositivos 35mm cor (slides); 6x6cm cor; 6x9cm cor; 4,5x4,5cm cor; Negativos cor 35mm (em tira); Provas cromogéneas 10x15cm; 18x24cm e 15x20cm; Provas papel revelação fibra p/b 18x24cm e 24x30cm
Provas A4 digitais HP num total de 2359 espécies fotográficas.

História custodial: Espólio doado por Mendes Ferrão ao IICT em 2010. As fotografias são maioritaramente produzidas, recolhidas ou encomendadas por Mendes Ferrão.

Datas: 1957-1990

 
Missão de Estudos Agronómicos do Ultramar

Âmbito e Conteúdo: Imagens diversas das actividades da Missão de Estudos Agronómicos do Ultramar

Proveniência: IICT/Missão de Estudos Agronómicos do Ultramar

Dimensão e suporte: 77 provas fotográficas em papel de revelação de gelatina e prata (formatos 9x12cm e 18x24cm); 3 provas fotográficas cromogéneas (formato 9x12cm); 20 negativos em acetato de celulose p/b (13x18cm) e 3 negativos cromogeneos (formato 13x18cm)

História custodial: Imagens provenientes da extinta Missão de Estudos Agronómicos do Ultramar do IICT

Datas: Séc. XX

 
Missões Geográficas, Geodésicas e Cartográficas

Âmbito e Conteúdo: Conjunto de álbuns fotográficos, negativos em vidro e negativos em película (alguns correspondentes com as provas dos álbuns) reportando as Missões Geográficas, Geodésicas e Cartográficas em Angola, Cabo Verde, Guiné, Macau, Moçambique e São Tomé para a Comissão de Cartografia, entre1890 e 1936 e posteriormente para a Junta das Missões Geográficas e Investigações Coloniais. A autoria das fotografias não está identificada, pelo que é atribuída aos chefes de Missão que normalmente assinam os álbuns, nomeadamente Gago Coutinho, Freire de Andrade, José Bacelar Bebiano, entre outros.
Existem ainda alguns negativos que, não sendo relativos aos trabalhos de Comissão de Cartografia, faziam parte desse conjunto, supondo-se que pertenceram ao Almirante Gago Coutinho.

Proveniência: IICT/Cartografia; Centro de Documentação e Informação; Centro de História

Dimensão e suporte: Conjunto de 22 álbuns fotográficos contendo cerca de 2100 provas em albumina, papel direto de colódio ou gelatina, papel de revelação de gelatina e prata e cianotipias. Cerca de 1390 negativos em vidro e 1390 provas de contacto correspondentes. Cerca de 90 negativos em nitrato de celulose. Alguns negativos em vidro são correspondentes com as provas dos álbuns.

História custodial: A documentação fotográfica estava dispersa por vários centros do IICT, pelo que agora reunidos se consegue uma noção da produção fotográfica realizada neste âmbito. 13 álbuns eram provenientes da Comissão de Cartografia e estiveram à guarda do GEO-DES/IICT; 6 álbuns fotográficos correspondentes às Missões para a JMGIC estavam depositados no CDI, bem como alguns negativos em vidro. Os restantes negativos em vidro encontravam-se no arquivo da Comissão de Cartografia (HIST/IICT). Verificou-se que estes últimos tinham quase total correspondência com os álbuns anteriormente tratados. Toda esta documentação está agora reunida no AHU para tratamento de conservação e restauro e depósito como medida de conservação preventiva.

Datas: Entre 1890 e 1954

 
Palanca Real

Âmbito e Conteúdo: Levantamento fotográfico que complementa o estudo realizado ente outubro de 1969 e 1970, por João Augusto Silva (1910-1997), em Angola, sobre a palanca real ou palanca negra gigante. Esta espécie, um dos antílopes mais raros do continente Africano, restringe-se ao centro-norte de Angola, no distrito de Malange, protegida entre as duas "Reservas Naturais Integrais" do Luando e Cangandala. As fotografias refletem aspetos que segundo o seu autor, "qualquer estudo com vista à protecção da espécie, também exige o conhecimento da estrutura económica dos agregados nativos, baseada numa agricultura itinerante que afecta profundamente a comunidade vegetal". Foram posteriormente publicadas no livro de Joao Augusto Silva "Contribuição para o estudo bioecológico da palanca real (Hippotragus niger varianni)", ed. Junta de Investigações do Ultramar, 1972. Apenas se localizaram as provas a preto e branco, não se conhecendo os negativos originais.

Proveniência: Junta de Investigações do Ultramar - Centro de Zoologia

Dimensão e suporte: 114 Provas fotográficas (papel de revelação de gelatina e prata), formato 18x24cm, distribuídas por 2 volumes.

História custodial: Nota de entrega: "PALANCA REAL. Passe este relatório bem como o álbum que o acompanha e que é constituído por dois volumes, ao Centro de documentação Científica Ultramarina para ficarem na Biblioteca. Em 19.6.1971. Os dois volumes estão referenciados pelo Centro de Zoologia mas segundo esta nota acima referida, foram entregues ao Centro de Documentação Científica Ultramarina, atual Centro de Documentação e Informação. Foram transferidas em 2009 para o AHU a fim de serem tratadas no ambito do projeto Arquivo Científico Tropical.
Deduz-se que o relatório mencionado seja o "Relatório Preliminar sobre a Palanca Real", datado de Abril de 1970, com autoria de Richard D. Estes, Runhild K. Estes e João Augusto Silva, patrocinado pela National Geographic Society e Direção dos Serviços de Veterinária de Angola. Segundo este relatório, posteriormente seria publicado um relatorio final. [cota biblioteca AHU-L9403]

Datas: 1969-1970

 
Pinto Ricardo

Âmbito e Conteúdo: Fotografias tiradas no âmbito profissional de Pinto Ricardo. Ilustram trabalhos na Brigada de Estudos de Pedologia Tropical para efetuar estudos de solos em Angola, na margem direita do Rio Cunene e subsidiada pela Junta das Missões Geográficas e de Investigações Coloniais, (recomeçando assim os estudos dos solos em Angola numa ótica pedológica, cujo início se havia verificado esporadicamente em 1946, pelo ISA, e organizada pela Junta de Exportação dos Cereais das Colónias); e na Missão de Pedologia de Angola com o o objetivo principal de efetuar a Carta Geral dos Solos de Angola. Esta ultima foi criada pela portaria 14 481 de 1 de Agosto de 1953.

Proveniência: Acervo Pessoal de Pinto Ricardo

Dimensão e suporte: 17 Provas em papel de revelação em gelatina e prata, década de 50. Doado os direitos de utilização das imagens digitais ao IICT. Originais na posse do autor.

Datas: 1951-1957

 
Processos Militares

Âmbito e Conteúdo: Retratos de militares de finais do séc XIX e princípios do séc XX. Retratos maioritariamente destinados aos processos militares e carteiras de identidade do SEMU/MU.

Proveniência: Fundo Secretaria de Estado da Marinha e Ultramar/Ministério Ultramar

Dimensão e suporte: 963 provas em papel de revelação de gelatina e prata, papéis directos de colódio ou gelatina, platinas e albuminas (formatos 4.5x6cm; 6x9cm; 9x12cm).

História custodial: Imagens que, por razão desconhecida, foram desmembradas dos processos militares da Secretaria de Estado da Marinha e Ultramar

Datas: Séc.XIX e XX

 
Provas Antigas

Âmbito e Conteúdo: Vários aspectos sociais, arquitectónicos, culturais, industriais, agrícolas e paisagísticos das ex-colónias portuguesas. Algumas imagens são relacionadas com a colecção das Missões Geográficas e Geodésicas. Entre1860 e 1920.

Proveniência: IICT/Arquivo Histórico Ultramarino

Dimensão e suporte: Total de 2418 provas fotográficas em diferentes suportes: albuminas, papéis directos de gelatina e colódio; cianotipos, platinas, papéis salgados, papéis em colódio mate; papéis de revelação em gelatina e prata, viragens a sépia. Formatos entre 6x6cm; 9x12cm; 13x18cm; 18x24cm; 20x25cm; 24x30cm; 30x40cm; 40x50cm; oversized

História custodial: Colecção de provas recolhidas pelo AHU ao longo das décadas, através de aquisições a alfarrabistas, doações e transferências. Sem proveniências conhecidas.

Datas: Entre 1860 e 1920