IICT  

Centro de Estudos Históricos Ultramarinos

Âmbito e Conteúdo: Conjunto de álbuns com temáticas e proveniencias diversas relacionadas com visitas ministeriais e presidenciais e assuntos de economia e arquitetura. Ex: Colonato de Cela; construção de ponte em Angola; problemas de utilização do solo em Moçambique; distribuição de água potável em Luanda, etc.

Proveniência: IICT/Centro de Estudos Históricos Ultramarinos

Dimensão e suporte: 1462 provas fotográficas em papel de revelação p/b e fotomecânicas, de diversos formatos, distribuídas por 19 álbuns

História custodial: O Centro de Estudos Históricos Ultramarinos (CEHU) foi criado através do Decreto-lei nº. 40 070 de 24 de Fevereiro de 1955 pelo Ministro do Ultramar, funcionando em colaboração com a Filmoteca Ultramarina Portuguesa, estando ambas sediadas no Palácio Burnay. Das actividades exercidas pelo CEHU destacam-se entre outras a coordenação e promoção de investigações históricas relativas à acção dos portugueses nos territórios ultramarinos, a recolha, conservação e divulgação de fontes históricas que pudessem apoiar estas investigações e a sua actividade editorial. Em 1973, por força do Decreto-Lei nº 583 de 6 de Novembro, são integradas no CEHU as actividades do então extinto Centro de Estudos Missionários. Neste mesmo decreto-lei, é determinada a integração do CEHU e da Filmoteca Ultramarina Portuguesa na Junta de Investigações Cientificas do Ultramar, hoje Instituto de Investigação Científica Tropical (IICT). Os 19 álbuns fotográficos foram transferidos em 2010 das antigas instalações do ex-CEHU, no Palácio Burnay, para o AHU.

Datas: Entre 1938 e 1954

Membro de: Fotografia  

Resultados ( 1 resultado )

Subscribe to the RSS feed for this result setSubscribe to the RSS feed for this result set

  Abstract Views File Downloads
Álbum fotográfico [Instalação de colonos nas aldeias novas do Colonato de Cela: S. Tiago de Adeganha, Freixo e Vimieiro nº9. Angola]
As legendas são originais, transcritas do álbum.O álbum possivelmente datará de 1954 e contém 83 fotografias que documentam a instalação de colonos vindos da metrópole (Portugal) nas aldeias novas do Colonato de Cela (Angola), nomeadamente nas aldeias de Santiago de Adeganha, Freixo e Vimieiro, com o intuito de procederem à exploração agrícola destes terrenos. As aldeias de Vimieiro, Freixo e Santiago de Adeganha faziam parte do conjunto de 15 aldeias que foram sendo construídas ao longo do Rio Cossoi. A região de Cela situa-se no distrito de Cuanza Sul, na zona de transição entre as regiões cafeícolas de LIBOLO-AMBOIM-SELES e o Planalto Central Angolano, cobrindo uma área de cerca de 300.000 hectares. Em Maio de 1951, foram iniciadas as obras de instalação de colonos pela Brigada de Colonização Europeia dos Serviços de Agricultura. A 23 de Julho de 1952, por força da Portaria Provincial nº 7884, foi criada a Secção de Colonização, sediada em Nova Lisboa (Huambo), à qual ficaram afectos as obras de colonização da Cela e os Colonatos de Caconda e 31 de Janeiro. Os primeiros colonos chegaram ao Colonato de Cela, mais precisamente à aldeia do Vimieiro, no início de 1953, vindos de Portugal, das zonas de Trás-os-Montes, Ribatejo e Alentejo. A construção das casas do colonato ficaram a cargo da BRICON (Brigada de Construções de Casas do Estado). O Colonato de Cela foi criado pelo Diploma Legal nº 2250, de 5 de Maio de 1954, sendo os seus limites definidos na Portaria nº 8551, de 5 de Maio de 1954 (alterando o Despacho do Governo Geral de 14-11-1950). De acordo com esta Portaria, a reserva tinha os seguintes limites: “a Norte, o Rio Nhia, desde o limite leste do posto da Cela até ao afluente Muai; a Sul, o rio Quève até à sua confluência com o rio Cassalala (no posto do Ebo) seguindo depois uma linha até ao cruzamento da estrada do Quissobe ao Longué, a partir da qual esta estrada e depois a picada para a Medunda, servem de limite; a Noroeste, o rio Kipaca, afluente do Muai; a Leste, o limite do posto da Cela”. Dado o seu crescimento rápido, foi criado o Fundo do Colonato de Cela (criado pelo Diploma legal nº 2594, de 3 de Novembro de 1954), órgão que trataria da administração e gestão financeira do colonato. Mais tarde, em 27 de Agosto de 1958, por força do Diploma Legal nº 2910, é criada a Junta de Povoamento Agrário da Cela. ; Author: autor não identificado; Local: Cela, Angola; Data: [1954]